Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 28 de março de 2011


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!

Charles Chaplin

sexta-feira, 25 de março de 2011

Cezar & Paulinho - Só por você




Em uma fase muito dificil de minha vida, onde eu tinha minha filha mais velha com mais ou menos 4 aninhos (hj ela tem 30...rsrsrsrsrsrs) estava separada do pai dela, apesar de apoio total de meus pais foi bem dificil.
nessa musica encontrei exatamente como me expressar o amor pela minha filha, espero que ela se lembre.
hj mais de 25 anos esse imenso amor aumentou e tbm inclui minha caçula hj com 20 anos, meu companheiro, parceiro de mais de 16 anos, meus netos que a Fernanda me deu.
obrigada a vcs que fazem minha vida ter sentido.
bjs

terça-feira, 22 de março de 2011

CRIANÇAS ABANDONADAS




Na minha infância quando ouvia falar de crianças abandonadas, mesmo não tendo a noção do que realmente isso significava, eu me condoia, em imaginar uma criança sem mãe, sem pai, sem família, sem casa, sem comida... Era assustador!
Hoje que sou adulta, quando falam sobre esse assunto, sabendo a dimensão real do problema, me pergunto o que se tem e foi feito nesses anos todos?
Uma grande revolta me atinge...
Pois o que se tem visto é retorno do passado batendo em nossas portas no presente.
Alguns anos atrás eram umas ou outras crianças deixadas em orfanato, em casa de estranho (geralmente com posses) ou simplesmente com alguém da própria família e a mãe, ou melhor, criatura (pois quem abandona um filho não pode ser chamada de mãe) sumia pelo mundo...
Essa geração pode ser dividida em partes:
Uma parte fora abandonada por livre arbítrio da criatura que dera a luz.
Outra parte bem maior, infelizmente, teve talvez o mais torturante abandono:
O abandono de intelecto, de educação, do respeito aos outros e o próprio, aprenderem o que é certo e o que é errado! Onde fisicamente não foram abandonados, onde os pais (se é que assim podemos chamá-los) estavam de corpo presente, mas somente o corpo, pois estavam lá como estátuas ou um quadro colocado na parede.
Abandonando os limites onde tudo pode tudo está certo, não faz mal dirigir sem habilitação atropelar, matar, mutilar, pois nós temos o dinheiro para pagar a fiança e viagens a Disney.
Pode sair surrando quem e como quiser, algumas vezes até a morte. Colocar fogo em mendigo, agredir professores, os empregados, os avós, vizinhos, pois todo mundo é ser inferior aos filhos deles. Só se esquecem que um dia seus “filhos” vão agredi-los também, vão querer o impossível e terão de qualquer jeito e forma, não importa em quem pisarem ou até matarem.
Onde a vida se torna sem sentimentos, sem ensinamentos, simplesmente deixa ir e aqui está o dinheiro vá se divertir!
Esse é com certeza o abandono real da essência do ser humano, e aí ouvimos, assistimos:
Bebe foi encontrado na mata ainda com cordão umbilical todo mordido por insetos quase morto...
Bebe é jogado no lixão logo após nascimento...
Bebe é jogado na lagoa...
Filha mata pais com ajuda de namorado e irmão de namorado por causa de herança...
Neto drogado mata avó...
Rapaz não aceita recusa da moça, mata-a e se suicida...
O promotor para se” defender” dispara seu revolver várias vezes e mata rapaz desarmado que foi separar briga...
Rapaz de classe média alta é preso por traficar drogas em festas, formação de quadrilha e porte de armas ilegal, mas pai paga fiança e está solto...
Uma outra parte, os menos favorecidos financeiramente:
Nem sempre possuem alcance de terem os ensinamentos necessários, porque os pais para não deixarem os tão amados filhos passarem fome tem que trabalharem muito, geralmente dois e até três empregos, pois salário baixo tem que se dividirem em várias tarefas, chegam tão exaustos que mal conseguem saberem o que se passou com os próprios filhos, antigamente até os sete e oito anos as crianças ficavam em creches públicas o dia inteiro e as mães podiam trabalharem sossegadas, mas nossos “políticos” muito “sábios” creche agora é para criança até três anos..., pois é outro grande problema social que sofremos, pois infelizmente temos que aprender a votar...é mais um grande obstáculos para os pais que precisam trabalhar e educar seus filhos.
E todos nós fingimos que nada acontece, tudo está muito bom, maravilhoso! Meu filho dentro de casa, escola boa, tem caráter, educação, cultura, são homens honestos.
Só nos esquecemos que a vida não tem uma redoma e as outras partes da sociedade, que infelizmente estão corrompidos e completamente corruptíveis são companhias nossas.
E então o que faremos?
Hoje psicólogos chegaram à conclusão que criança tem que ter limites, mas isso minha tataravô já sabia sem estudos em faculdade, não precisava existir o estatuto da criança e do adolescente, pois colocar filho de castigo, dar umas broncas, para impor o que é certo, posso garantir que não faz mal nenhum, pelo contrario, eu mesma apanhei de minha mãe e hj. Agradeço-lhe, pois aqueles tapas me fizeram um ser humano que respeita a todos e passou esses limites para seus filhos e meus filhos estão passando para meus netos, e se todos fizermos isso, com certeza teremos um futuro bem melhor, onde nem o estatuto do idoso também será ultrapassado.
E tudo isso por quê? Porque os filhos que cresceram dentro dos limites começaram a achar que era tudo quadradice tudo ultrapassado e criaram e estão criando os seus filhos sem limites nenhum, onde os valores foram invertidos completamente e deu no que deu...
Essas nossas crianças e jovens completamente perdidos e atordoados, sendo adotados pelos traficantes onde a violência, as drogas e a morte são os recheios dessa vida tão errada.
Tomemos nas mãos as rédeas de nossas vidas agora, nesse instante coloque limites nos filhos por amor a eles.
Repasse que aprendeu em questão de respeito aos mais velhos, respeito ao próximo, respeito aos professores, enfim respeitar o ser humano pois somos todos iguais, e essa é a máxima: respeitar para ser respeitado!
Pois somos todos iguais, para essa geração que está vindo tornar o futuro de nossos filhos e netos e descendentes, melhor e mais habitável nesse mundo que está em abandono total e muito mais assustador a cada minuto.
Não creio que seja CRIANÇAS ABANDONADAS... Creio que seja
SOCIEDADE ABANDONADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!
S.O.S os seres humanos pedem!!!!!.....


autora: (Cyda Ferraz)
cronica postada em 19/11/2007 na comunidade POESIAS E MUSICAS no orkut.
Cyda Ferraz
Publicado no Recanto das Letras em 27/04/2008
Código do texto: T964012

segunda-feira, 21 de março de 2011

O TEMPO




Estava sentada na mesa...
Pensativa, preocupada, concentrada em meus problemas...
Mas de repente, meus olhos começaram a passear ao redor de mim.
Pela primeira vez tive tempo de parar um pouco e observei.
Aquelas pessoas, comendo e conversando, todos apressados
Escravos do tempo, aprisionados a dois ponteiros que correm
De encontro as nossas decisões, onde um segundo nunca mais voltará,
Poderá mudar nossas vidas, nossos destinos e a todos que nos rodeiam.
Vejo um rosto conhecido, afinal, mesmo sem nos conhecermos,
Encontramos-nos quase todos os dias aqui ou nas ruas próximas.
Começo a investigar os rostos...
Primeiro vejo um rapaz, com brinco, corte de cabelo moderno todo arrepiado...
A juventude a flor da pele, tudo é muito impetuoso, nada pode esperar...
Tem muita pressa, tudo para eles é muito intenso, forte, como se fosse o seu ultimo momento...
AH! A juventude... Não sabem que o tempo voa e chega muito rápido a terceira idade...
Ao seu lado um senhor, uns fios grisalhos, alguns sinais marcam seu rosto,
Muito centrado na conversa dos amigos de mesa, noto que é o mais velho,
É também o que mais fala e ri... Chega ate gesticular as próprias palavras.
Imagino-o em sua casa, sempre muito cansado, mal humorado, não tem assunto
E muito menos graça... Os filhos apenas para “enfeitarem” a casa...
Todos aqueles conselhos que ensina aos seus colegas, para os filhos não têm o que ensinar.
De repente entra uma moça, todos olham, um piscar de olho e um silencio rápido,
Chama a atenção uma blusa toda brilhante e transparente, micro saia,
Onde podemos ate ler seus pensamentos...
Ela se achando o máximo, se ela queria chamar a atenção ela conseguiu...
Imagino-a na empresa, para esconder a incompetência mostra sua vulgaridade...
Lamento, afinal, uma moça bonita deve ter alguma inteligência para ser reconhecida.
Ao meu lado outra moça, com seu belíssimo traje, cabelos longos, muito bem cuidados,
Unhas bem feita, apenas acompanhada por uma amiga, onde as duas conversam falando baixo muito discretas e chamando a atenção das pessoas que lá se encontravam
Mulheres bem sucedidas, elegantes, inteligentes, independentes.
Imagino a que tem mais idade em sua casa.
Querendo ser uma super mãe, super esposa, super dona de casa... Super tudo...
Impossível pra qualquer ser humano, assim se sente frustrada,
Realizada profissional, mas um complexo de culpa incrível e enorme
Por não conseguir acompanhar os filhos como gostaria,
Esquece-se que o mais importante é a qualidade de sua companhia, mas está tão preocupada em ser super que não faz o principal ser mãe, aproveitando os momentos, como uma mulher bem sucedida, mas um ser humano normal, cheia de defeitos, falhas também.
Olho para a proprietária do restaurante, do caixa fica observando se tudo está em ordem.
Deve também estar pensando em seu lar, será que os filhos almoçaram?
Será que eles já foram para a escola? Será? Será? E mais outros tantos será que pensamos quando estamos fora de casa, longe de nossos filhos.
Observo também os garçons:
São quatro cada um trabalha de um jeito e uma forma,
O primeiro vem todo sorridente à mesa do cliente, anota o pedido e já encaminha a cozinha
Voltando rapidamente para outra mesa.
O segundo está ali como se estivesse de férias, apenas observando o movimento
O cliente tem que chamá-lo para ser atendido, ele todo fechado, como se todos tivessem culpa de seus problemas, anota o pedido, e vai passeando levar a cozinha
O terceiro é uma figura, eu sempre procuro sentar em mesa que não seja ele o garçom...
Todos são seus amigos, faz uma festa, e começa a falar sem parar, toda sua vida particular acabamos conhecendo, e sempre chegamos atrasados na empresa...
Nos primeiros dias é ótimo nos sentimos em casa, mas todos os dias?
Ouvirmos a mesma historia, e cada dia ele se empolga mais...
Para mim ele não poderia ser garçom, ele deveria estar em um palco.
O quarto é um senhor de bigode falando com sotaque de português, sempre muito educado, prestativo, mas nunca perde a posse de garçom, me parece que tem orgulho dessa belíssima profissão. Procuro sempre sentar para ser atendida por ele.
Dou mais uma olhada em geral, cada um com problema, cada um sabendo encará-los
De forma diferente, bem do seu jeito em ver a vida.
Todos com pressa para voltar ao serviço, as suas responsabilidades,
O horário de almoço é muito curto,
Levo um susto, horário de almoço?!
Nossa o meu falta segundos, afinal sou também uma prisioneira do relógio
Me desperto para a realidade e tenho certeza que o pensamento é pura energia
Afinal, vasculhei a vida de todos que estavam ali e uns estive ate na casa,
Refleti sobre minha própria vida...
E toda essa fantástica viagem levou apenas uns segundos.
Sempre temos alguém observando, inclusive a nós...



Autora (Cyda Ferraz)


Cyda Ferraz
Publicado no Recanto das Letras em 26/08/2009
Código do texto: T1776032

quinta-feira, 17 de março de 2011

ONDE ENCONTRAMOS DEUS?




Hoje recebi um recado de uma amiga assim:
Estou precisando achar Deus em mim.
Fiquei pensando: Como uma pessoa inteligente pode estar procurando ELE?
E pensei: e sem pestanejar escrevi:
Responda com toda sinceridade a você mesma!
Você. Hoje conseguiu abrir seus olhos?
Está nesse momento conseguindo ler e ENTENDER o que está aqui?
Está sem esforço nenhum respirando o oxigênio... seu organismo o aproveitando e espirando o que não lhe é conveniente?
Também sem esforço nenhum está com seu coração pulsando o sangue que leva toda a proteína para todo o seu corpo?
Está tendo o privilegio de estar rodeada por pessoas que te amam, seja no trabalho ou em casa?
Consegue sem o menor esforço sorrir?
Consegue sentir amor? Amizade?
Vontade de crescer? Vontade de aprender?
Ficar indignada com injustiças? Consegue sentir dor?
Consegue sentir até ódio, Raiva?
Consegue se magoar com pessoas ingratas?
Consegue ser grata? Consegue perdoar?
Consegue ter recordações sejam tristes ou alegres? Consegue sonhar com um dia melhor?
Consegue chorar? Consegue se emocionar?
Consegue sentir pena de uma criança ou pessoa que sofre?
Agora responda como você consegue sem nem se perceber fazer isso tudo? E muito mais?
Esse é o deus que habita em nosso ser.
Onde o está procurando?
No céu sentado em trono apenas nos julgando?
Apontando o dedo e dizendo vai ser castigado?
Em algum lugar muito distante?
Um ser de carne e osso?
Ele é onipotente e onipresente amiga!
Não cai uma folha da arvore sem o consentimento dele.
Pare de procurá-lo aproveite e tire proveito da ótima companhia dele
que sempre está aqui mesmo em nosso coração.
Igual um pai que cuida e quer o filho feliz.
Entregue sua vida de vez para ele.
Ele te mostrara o caminho, afinal, ele com sua infinita sabedoria sabe tudo
que necessita antes mesmo de acontecer.
Vc apenas precisa aprender a ouvi-lo, senti-lo, conversar com ele,
orar em sintonia que é abrir seu coração, pois não apenas a ouve como sabe de tudo.
Pense bem sobre o que lhe escrevi que é apenas o mínimo...
Não tem idéia do tempo perdido o procurando
sinta-o entregue seus atos a ele que sempre alguém chegara e lhe falara por ele
vc vai ler e estar lá sua resposta.
A bíblia fechada é um livro aberta é a voz dele.
Sempre se deixara entende-lo de alguma forma.
Deus habita em nós, sem nunca nos abandonar
Nós em nossa ignorância, arrogância e prepotência nos afastamos, não queremos ouvi-lo,
Como se fossemos adolescentes rebeldes sem causa com nossos pais.



autora: (Cyda Ferraz)
Cyda Ferraz
Publicado no Recanto das Letras em 28/05/2009
Código do texto: T1619567

domingo, 6 de março de 2011

MULHER





Obra prima criada por Deus...
Musa das mais belas poesias e canções...
Anjo que a todos protege...
Inspiração para os melhores momentos...
Delicadeza de uma flor,
Fortaleza de um blindado...
Amor incondicional...
Coração enorme...
Sentimentos puros e brandos,
Mas sabe tambem usar o lado negativo
Com força total.
Inteligente e sutil...
Usa suas armas com displicencia,
Pois sabe bem o que quer,
Onde quer chegar.
Tarefas multiplas e bem executadas
Muitas vezes não compreendida
Sabe fazer do choro sua força,
Com sua alegra ilumina quem a cerca
Fragil no fisico
Mas forte e poderosa com seu jeitinho mimado
Dengosa quando quer ser
Fera na hora que precisa
Qualidades e defeitos vai aprendendo a viver
Sempre da melhor maneira
Com sabedoria de sobra
Ensina como se formar um ser humano
Tudo isso e muito mais
Forma a alma da mulher
Mulher que luta, batalha, somos guerreiras
Somos carentes, somos fortes, somos as colunas de uma casa
Nós somos mulheres.


Autora: (Cyda Ferraz)


Cyda Ferraz
Publicado no Recanto das Letras em 06/03/2011
Código do texto: T2831392

SIMPLESMENTE CYDA!



Sou Maria Aparecida, simplesmente Cyda...
Sou paulistana, pois nessa linda capital nasci e cresci.
gosto de escrever o que passa nas almas das pessoas.
quem sabe um dia publicarei um livro.
Hoje sei que a vida é feita de transformações, umas para melhores outras precisamos aprimorá-las...
Mas o mais interessante que mesmo pelos erros e acertos,
posso olhar para trás e clamar:
-VALEU A PENA!...
posso olhar para o futuro e...
-ME AGUARDE ESTOU CHEGANDO!
principalmente olhar para o hoje e gritar bem alto:
-OBRIGADA DEUS POR SABER QUE EU EXISTO! OBRIGADA POR TUDO!

DIA INTERNACIONAL DA MULHER!



Mulher: uma palavra formada por apenas seis letras, mas tão complexa ela tem tanto significado que fica dificil descrever.

Somos sexo fragil. Será? Será que somos mesmo frageis?

Nosso dia a dia é de pessoa fragil?

Sempre que acordamos, temos variadas tarefas nos aguardando.

Seja sair para trabalhar fora ou ficar trabalhando em casa.

E inumeras somam as duas coisas.

Sempre temos que fazer muito mais que os homens.

Vejamos um dia normal de uma mulher:

Levantamos fazemos o desejum da familia, se trabalhamos fora e não temos secretaria para ajudar, corremos para arrumar a cozinha.

Temos horario a cumprir, algumas ainda deixam filhos na escola ou creche, pegamos um transito terrivel, algumas de condução propria outras em coletivos hiper lotados.

Chegamos no trabalho, fazemos todas as responsabilidades que nos cabem e mais as dos outros.

Se ficamos em casa temos a casa toda nos esperando,

Temos que preparar o almoço, servir o almoço, limpar a cozinha, lavar e passar roupa, cuidar das crianças quando temos.

No trabalho horario de almoço pequeno, temos que almoçarmos correndo para irmos ao banco ou comprarmos alguma coisa que falta em casa.

Passamos a tarde trabalhando, seja em casa ou em empresa.

Voltamos novamente com um transito terrivel, e quando chegamos em casa temos nosso lar, marido, filhos ansiosos com nossa presença e nossa ajuda.

Temos que darmos atenção a todos e no dia seguinte recomeçaremos tudo novamente.

Quando chega final de semana onde teriamos que ter nosso merecido descanso...

O marido dorme ate mais tarde pois ele está cansado trabalhou a semana toda...

As crianças querem passearem pois ficaram a semana estudando...

E nós?

E nós acompanhamos eles e com certeza ainda temos o serviço de casa nos esperando...

E então quem é sexo fragil?

Autora(Cyda Ferraz)